É preciso ter cuidado para fazer uma transferência bancária internacional para que você não acabe tendo prejuízos com cotações e cobrança de taxas que não são muito claras. Além disso, dependendo da forma de enviar o dinheiro que você escolher, existirá burocracias a serem seguidas.

Por isso, este blog post será um breve guia sobre transferências bancárias internacionais, para que você conheça as principais orientações de como fazer esse tipo de operação financeira.

Vamos explicar tudo de uma maneira simples e fácil. Confira!

Quais são os possíveis prejuízos ao fazer uma transferência bancária internacional?

O imposto sobre operações financeiras (IOF) incide sobre a maioria das transferências de recursos ao exterior e o percentual aplicado varia conforme a finalidade (natureza) da transferência. Portanto, fique atento na hora de informar à instituição financeira, a finalidade (natureza) da transferência para não pagar mais imposto do que aquele que seria devido.

Para exemplificar vamos dar dois exemplos mais comuns de transferências para o exterior.

Uma delas é transferência para “Manutenção de residentes no exterior”, cuja alíquota do IOF é de 0,38% sobre o valor em reais resultante da conversão da moeda estrangeira pela taxa de câmbio cobrada pela instituição financeira.

Já, se a sua transferência tiver como finalidade enviar recursos para sua própria conta bancária no exterior, cuja natureza se enquadra em “Disponibilidade no exterior”, a alíquota do IOF neste caso é de 1,10%. Portanto, é importante atentar para a adequada classificação da finalidade/natureza a fim de não arcar com prejuízos. Para tanto, procure orientação de uma instituição especializada em operações de câmbio a fim de evitar prejuízos.

Além disso, existem outras cobranças envolvidas na transferência de recursos ao exterior:

  • tarifa do banco: é o preço do serviço do banco para realizar a transação e varia entre as instituições financeiras;
  • taxa de envio: os bancos costumam disponibilizar a informação nas suas paginas web. Ela pode oscilar de acordo com a quantia a ser transferida. Portanto, dependendo do valor que você vai mandar para fora do país, vale a pena conferir essas taxas de envio;
  • taxa de câmbio: bancos trabalham com o câmbio turismo das moedas estrangeiras, o que significa que uma taxa (spread) adicionada em cima da cotação das taxas aplicadas nas operações de câmbio do chamado taxa do comercial;
  • despesas SWIFT: Sociedade para Telecomunicações Financeiras Interbancárias Mundiais é o sistema de mensagens utilizado para efetivar as transferências bancárias internacionais. O valor cobrado pelos bancos para essa troca de informações entre países não é fixo e pode ser de responsabilidade do remetente ou do beneficiário. Informe-se no seu banco como ele trabalha;

Portanto, consulte também uma corretora de câmbio especializada autorizada pelo Banco Central do Brasil e Conselho Monetário Nacional a efetuar transferências bancárias internacionais e comparar as tarifas e taxas de câmbio.

Quais são as formas de fazer uma transferência de dinheiro para o exterior?

Existem diversas maneiras de enviar dinheiro ao exterior. Você pode optar por uma remessa de dinheiro ou por uma transferência bancária.

Denomina-se “transferência bancária internacional” apenas o envio de recursos para crédito em uma conta bancária do beneficiário fora do Brasil.

Essa transferência pode ser utilizada para várias finalidades, como disponibilidade, manutenção de residentes no exterior, manutenção de estudantes, pagamentos de estudos, aluguel, compra de imóveis, entre outras. 

Já se você precisa mandar dinheiro para recebimento no exterior por meio de papel moeda, trata-se de uma remessa de dinheiro e não de uma transferência bancária. Essa remessa pode ser feita utilizando os serviços da Western Union ou MoneyGram, por exemplo, que inclusive são prestados também através de uma corretora de câmbio de sua confiança.

Para garantir que sua operação seja feita com toda a segurança que a legislação oferece, nossa dica é que você sempre procure os serviços de uma instituição financeira como um banco ou corretora de câmbio.

Dessa forma, sua movimentação estará protegida pela lei, evitando qualquer tipo de perda, visto que essas instituições são regulamentadas, fiscalizadas e auditadas em conformidade com as normativas do Conselho Monetário Nacional e Banco Central do Brasil.

Este breve guia sobre o envio de dinheiro ao exterior explicou para você os cuidados a serem tomados para não ser pego de surpresa e ter prejuízos com o pagamento de taxas e impostos desconhecidos. Também apontamos quais são as principais formas de fazer esse tipo de operação.

Quer saber mais dicas sobre o mercado de câmbio? Então assine a nossa newsletter para não perder nossos posts!

Escreva um comentário

Share This